sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Raiz do medo - Um poema de Luís Costa


É hora de soltar o credo

E acreditar!
E todos querem confiar,
Todos se querem capacitar…
Mas quem se capacita?

É hora de soltar o medo
E tentar!
E todos querem ousar,
Todos querem incitar…
Mas quem incita?

É a hora de soltar o grito
E bradar!
E todos querem reclamar,
Todos querem gritar…
Mas quem grita?

É hora de rasgar o mito
E pensar!
E todos querem sonhar,
Todos querem volitar…
Mas quem volita?

É a hora da alvorada,
Mas já ninguém faz nada
Sem que alguém permita!

Luís Costa

1 comentário:

Flávio Monte disse...

Olá, amiga Safira!

Obrigado, por mais esta homenagem!
A imagem da senhora que está no poema "Gente Serrana" foi retirada do livro digital "Montalegre", que está no site da C.M. de Montalegre. O presidente autorizou-me a usá-las, quando criei o "Livro d'Água". Aquela senhora é mesmo barrosã e ainda é viva. Seria uma honra vê-la pintada por si, acredite!
O Ramiro tem sido incansável! É uma pessoa "do outro mundo"!
Abraço amigo e agradecido!

Luís Costa (Flávio Monte)