terça-feira, 2 de setembro de 2008

No teu olhar...


No olhar podemos ver
quem ama,
o que sente,
se tem poder.

No olhar podemos
quem nos ama,
o que sente,
o quanto nos ama.

No olhar podemos ver
quem nos quer,
o que quer,
o quanto nos quer.

No teu olhar posso ver
se me amas,
o que queres,
se me queres.

No teu olhar posso ver
quem eu quero,
quem tu queres,
o que queres.

No teu olhar posso ver
se é o fim,
quando é o fim,
porque é que acabou.

Sem te olhar
posso dizer,
que acabei,
o que não comecei.

Safira

6 comentários:

Pena disse...

Simpática Amiga:
No seu olhar posso ver encanto,ternura e carinho.
São belas e puras as suas palavras doces que me encantaram e fascinaram.
Bem-Haja!
Adorei.
É um a poetisa fantástica. Terna. De maravilhar.
Beijinhos de amizade, estima e respeito imenso.
Admiro-a, sabe? E, ao seu puro versejar.
Com cordialidade sincera e simpatia gigantesca

pena

OBRIGADO pela visita fantástica e pelas palavras lindas que lá expressou.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Safira,

Gostei do teu versejar, os olhos realmente são a janela da alma.
Agradeço tua passagem pelo meu mundo.

Pérolas incandescentes de inspiração.

Eärwen

Flávio Monte disse...

NÃO PUBLIQUE:

FALTA O VERBO "VER" NA SEGUNDA ESTROFE?

Flávio Monte disse...

Belo! Simplesmente belo: ao nível dos seus quadros, Safira!
Os olhos são o espelho da alma. Nada mais sincero do que dois seres que se olham e deixam os olhos falar!
Um abraço amigo!

Véu de Maya disse...

é um lindo e poético olhar sobre o olhar como espelho da alma-da nossa e do outro...ternura especial pelos professores que t~em uma profisão tão valiosa e tão difícil e não devdamente renohecida[às vezes]

um abraço poético

Véu de Maya disse...

errata:

profissão

têm

devidamente

reconhecida

:)